segunda-feira, 8 de julho de 2013

''SONHANDO''



Faço poemas
como criança que chora
como navio que se despede
como pássaro alvejado.


Faço poemas
na paisagem das horas
ao entardecer dos sonhos.


Faço poemas
sem desencanto
como uma vela morrendo
ou como um louco
desenhando painéis
de falsas caricaturas.


Faço poemas crianças
razão de um viver
sabor de fruto
amargo ou doce.


Faço poemas
como um maestro
iludindo-me
de todas as melodias.

Faço poemas.

Alvina Nunes Tzovenos
de Palavras ao Tempo

[Tela de Henri Pierre Picou]