segunda-feira, 29 de julho de 2013

Eu sempre quis inventar


 Eu sempre quis inventar.

. . . que a vida era doce de mais
tão doce
que os nossos sonhos viviam lambuzados.

. . . que o amor era o universo
vestindo verdades de luzes como rios.

. . . que a morte era um dia de festa
um presente colorido.

Eu sempre quis inventar
a vida e o amor e a morte
mas
foram eles quem me inventaram.

Alvina Nunes Tzovenos
de Palavras ao Vento