quinta-feira, 4 de julho de 2013

''NÃO SE ESQUECE JAMAIS''


quando a mágoa
viajante costumeiro
tinge de maresias
a boca silenciosa
de tantos
de todos os meus dias.


quando a alegria
máscara brincalhona
fingindo felicidade
margeia de folhagem
como pingos d’água
toda uma estrada
a de todas as horas minhas.


Não se esquece jamais
mágoa e alegria
dança vertiginosa
no palco de tantas fantasias.

Alvina Nunes Tzovenos
de Palavras ao Tempo