terça-feira, 2 de julho de 2013

'' LADO A LADO''

 
O velho e o mar
O mar e o velho.

Duelo, ciúme.

Vaidade de pescador
que amanhece
repetindo-se entre crepúsculos
lutando
porque ama o sol e a vida.

Um não cede lugar ao outro
porque
as noites são claras
e o cansaço do velho
não é o mar
nem seu barco.

O velho e o mar
amigos e inimigos
das horas iguais e desiguais.
Entre ódios e amores
compreendem-se em seus destinos.

Amantes que se eternizam
solidez de buscas.

Alvina Nunes Tzovenos
Palavras ao Tempo

[Tela de  Aleksandr Pretov]