terça-feira, 2 de julho de 2013

'Sobre a autora'



Alvina Nunes Tzovenos, professora e poetisa. Seus poemas prolongam formas tradicionais, posto que não pretende inovar. Pessoalmente, respeito – e muito – todo esforço sincero, árduo, para atingir a poesia, seja erudita, seja popular. Respeito, ainda, o empenho por transmitir a poesia descoberta em linguagem acessível ao grande público. Ora, Alvina escreve poemas nos quais sua sensibilidade privilegiada extravasa ternura e solidariedade para com os seres em geral; seus versos, igualmente, suscitam uma interpelação existencial, que não pode  deixar de comover qualquer leitor de coração tocável pelo Mistério.

Não me cabe a tarefa de criticar os poemas de Alvina Nunes Tzovenos, isto é, de situá-los no conjunto da produção poética rio-grandense e nacional. Satisfaço-me com descobrir poemas sugestivos no presente livro, que a autora entrega aos amigos leitores, como “TRANSIÇÕES”, cuja finura de imagens e melodia me impressionaram.


“Mastigando raízes de eternidade
adentro-me pelas colinas dos céus
onde Deus é meu relógio.

E buscando sabedoria
não me torno deserto e nem ausência.

Recolho em minha solidão
muralhas de calmaria
sem gemido de dor ou morte.

Em meus redemoinhos
viajo entre cansaços de séculos
adornada de crisântemos amarelos.

Em minha ausente juventude
não há abismos em voragem.
Trigo, fonte e pombas
ornamentam minhas varandas.

A noite ajoelhada soluça
em seu tapete entre velas.
O tempo que é túnel
fala das estações
derramando chuva de invernos
até às eternidades.”


                                                                                                   ARMINDO TREVISAN
                                                                                                   (DR. PROF. E POETA)