quinta-feira, 4 de julho de 2013

''ESQUEMAS''




Amor!
descansa teus olhos
na curva do tempo
repousa tua sombra
em minhas águas do ontem.


E olha a vida
o ar indivisível
a negar distância.


Observa a chuva
na muralha da dor
na esquina da dúvida.


E uma voz misteriosa
dilacera o  tempo
resseca a garganta
e silencia as mãos.


Mas, sempre, amor
a ilusão convite
sonhará
com todos os nossos sonhos.

Alvina Nunes Tzovenos
de Palavras ao Tempo.